quinta-feira, 26 de abril de 2012

ASIAN HUMAN RIGHTS COMISSION PEDE LIBERDADE PARA AAN



A ASIAM HUMAN RIGHTS COMISSION  e  o 
CENTER FOR INQUIRY TRANSNATIONAL  fazem campanha para a liberação de Alexander Aan, ateu condenado a 5 anos de prisão na Indonésia por expressar seu ateísmo no Facebook.


ATEU POETA

Veja mais em:



quarta-feira, 18 de abril de 2012

OCASO DO ALVORECER


OCASO DO ALVORECER

A vida é a mesma mortalha que nos fez nascer
Como é triste o alvorecer virando ocaso
Acasos fatais nos levarão novamente ao caos do universo
Viraremos simples versos de um poeta sentimental

Um dia haverá luz
No outro a escuridão total
Não seremos mais que memórias
Na História renasceremos

Em tudo que antes fomos nos transformaremos
A morte é apenas um regresso à matéria original
Apesar de não ser o bastante para o coração calar
Um retrato na estante melhor falará

Ou trará paz sem a presença de antes
O infinito se faz a cada instante
ATEU POETA
1:1
19/04/2012

quarta-feira, 11 de abril de 2012

POEMA SEM FIM


PARTE IV

De que matéria fui feita eu
Que contraria a tudo que é humano
Que sentimento tão profano
Uniu-me a consciência de um ateu?

Sem planos, sem objetivos
Passo os dias nessa vã procura
De uma doença para minha cura
Alimentando sentimentos corrosivos.

Matei meus sonhos mais queridos
E os trago a mim acorrentados
Pra tornar o fardo mais pesado
Arrastando um coração já combalido.
--------------------------------------------
PARTE X

Há em mim um sentimento inexplicável
Um medo, um temor indescritível
À luz do sol me faço invisível
E à noite, uma sombra indecifrável.

Contra o que tenho lutado e desde quando?
Me ensangüento nessa luta imaginária
Erguendo a minha espada solitária
À um exército de fantasmas sem comando.

Às vezes fujo, apressando os meus pés
Temo muito o embate principal
Pois, a minha armadura é de cristal
E os gládios são tão fortes e cruéis.

Janete Roen



segunda-feira, 9 de abril de 2012

AÇOITE EM CHAMAS


AÇOITE EM CHAMAS

O pobre gira o mundo
Apesar dos castigos
O seu inferno é o céu da elite
O seu sangue alimenta o açoite

A História é feita de explosões
Todas as razões são sufocadas
Nós rezamos para a câmara de gás
Enquanto livros e sábios morrem na fogueira da ganância

O sofrimento do forte deixa em paz o incapaz
O algoz vive na abundância
Diga amém ao sacrifício
Ou liberte-se do vício do martírio

Entre na dança cultural
Mas supere qualquer ideal alheio
ATEU POETA
11:32
09/04/2012

sábado, 7 de abril de 2012

FERA MORTA


Tua luz é ilusão
Cega o sol que celebra
A cruz prega o que o poeta nega
Pouca lebre na febre ébria

Quem de fato esteve sóbrio algum dia?
A própria vida é um grande delírio
Um suspiro e tudo evanesce
A razão tece onde o sentimento permite

Se esvairá o peixe e o pão
O chocolate adoçará a imensidão
Ninguém mais irá pescar
Por que o mar já não existe

A besta é uma fera morta
nenhuma porta haverá

ATEU POETA
10:30
07/04/2012

terça-feira, 3 de abril de 2012

LOBO SUPREMO


O homem é o lobo mais selvagem
O único capaz de destruir este e outros mundos
Que cria um deus para cada elemento que não compreende
Por que o poder está acima da razão
Em seu coração a paz é emergente
Animal feroz de terno e gravata
Algoz de bravata rarefeita
Caça que caça caçador em seu peito
O falcão em seu leito por vezes é camicase
E a ultima crase se foi a esmo
Deus-dará de si mesmo
Idealista de asas com facão em punho
Brutos, até tu me traístes
Nenhum Judas resiste à tentação de ser santo
O inferno das doze moedas de prata
Áurea consciência que a ciência não controla
Aprimora a tempestade de outrora
O mirone um dia cessará
Na voz de Alcione
Sob o canto de Aurora
A primeira retriz há muito se perdera   
ATEU POETA
20:41
02/04/2012